terça-feira, 28 de maio de 2013

Milípedes




Todos os dias aprendemos alguma coisa, nem que seja durante o zapping da noite, num programa do Discovery Channel!
Ao ver o protagonista do documentário agarrar num bicho enorme e castanho lembrei-me logo destas fotografias tiradas em Lichinga, em Abril de 2011, quando esperávamos pelo pôr-do-sol junto ao Mosteiro.
Na altura ficamos estupefactos com o tamanho deste ser porque nada sabíamos dele.
Ontem ficamos a conhecê-lo melhor.
É um milípede, tem veneno mas não ataca. O seu veneno é expelido pelo próprio corpo, como se fosse suor.
Afinal o exemplar que vimos não é dos maiores, pois no documentário, algures no centro dos Camarões, foram exibidos "familiares" que enrolados ocupavam a palma da mão.

Para mais informações sobre este ser, fica aqui a sugestão: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dipl%C3%B3pode.

Boas descobertas!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Dia do Autor Português


Quem não tem um livro preferido?
E um autor?
Será que pensamos nele como alguém que se esforça para chegar até nós, para nos dar o seu melhor?

Hoje comemora-se o Dia do Autor Português e, como tal, partilho aqui a ida da Titia à Feira do Livro de Vouzela, cidade já de si fantástica, que esteve este fim-de-semana enriquecida com vários autores portugueses na sua 11ª edição.

Gosto especialmente do nome dado à feira, "folhas soltas", que muito diz sobre a vontade de escrever sem olhar a contextos.

Destaco também a editora Edições Vieira da Silva, pela importância que dá aos autores portugueses e às suas obras.
Podemos ficar a conhecer mais sobre a Titia e sobre a editora no site: 

Boas escritas!

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Empreendedorismo hoje



Em Outubro do ano passado arrisquei tudo e abri o Centro Educativo e Formação Espaço Crescer, http://espacocrescer2012.wordpress.com/.
O primeiro dilema foi perceber se seria apenas capricho meu querer levar para a frente uma ideia que muitos temiam, um investimento.
Mas, tal como alguns empresários de maior sucesso no mundo referem, tenho chegado a algumas conclusões que ainda tento colocar em prática para conseguir seguir o melhor caminho, tais como:
- evitar relações profissionais com amigos ou, pelo menos, escolhê-los bem;
- recolher várias opiniões de quem já passou pelo mesmo;
- ler muito sobre gestão de negócios, ser líder, contabilidade e finanças, outras empresas do mesmo ramo e ramos aproximados;
- ter sempre atenção à caixa, da empresa e pessoal;
- contar apenas e inicialmente com fundos próprios e não com investimentos, mesmo que para isso tenha que se começar com muito pouco;
- acreditar que quem investe em tempo de crise e conta com o pior cenário tem agradáveis surpresas no futuro mas deve continuar a fazer sempre por isso;
- escolher profissionais que se adequém ao perfil que queremos manter mesmo que para isso não sejam especialistas numa determinada área;
- ser coerentes em todo o serviço, na escolha de profissionais e em toda a prática diária, ao longo dos meses e anos;
- continuar à procura de inovar e não dar o plano de negócios e o projecto como terminado;
- ter paciência quanto ao tempo que demora o estudo de todas as escolhas a fazer, mais de um ano é muito normal;
- contar com dificuldades das instituições e entidades burocráticas que, deveriam ajudar ao empreendedorismo, mas que por alguma razão mostram o contrário e apenas dificultam todo o processo;
- flexibilidade face às reais necessidades do cliente, mesmo que isso altere o que estava previamente estabelecido no projecto;
- ouvir os clientes mas não desmoralizar se realmente acreditamos que algo pode funcionar. Podemos não agradar a alguns mas chegar a outros pela diferença sem ir atrás do que é normal, costume e esperado por todos;
- procurar um mentor da mesma área, mas se não encontrar pessoalmente, fazê-lo por leituras pois a pessoa existe, mesmo que seja por trás das letras;
- não ir atrás de cópias de negócios já feitos pois cada um empenha nele a sua própria alma e isso é pessoal e intransmissível;
- mostrar que está tudo bem, mesmo que não esteja, fazendo os outros acreditar que sim de tal forma que nós próprios também nos convencemos do mesmo para ter forças para continuar e ultrapassar os obstáculos com um grande sorriso, "Eles que venham!"
- ponderar muito bem que custos fixos elevados e mesmo baixos valem a pena manter, mesmo que tenha que sacrificar alguma parte inicial do investimento;
- saber esperar pelo sucesso quando se tem a certeza comprovada que o obstáculo existe apenas utopicamente;
- não dar demasiada importância aos pioneiros, as nossas ideias também podem singrar numa área em que já há demais, se conseguirmos realmente inovar sem pensar em cópias;
- lidar com os clientes como pessoas individuais tratando cada caso como um caso de forma pessoal e adaptada à própria pessoa. Para isso temos que ser muito flexíveis e ponderados na escolha das palavras tentando nunca ser cínicos ou oportunistas mas sinceros quanto à nossa intenção de manter essa pessoa como cliente, pois é disso que se trata e todos sabemos disso. Agradar pelo serviço prestado para dar continuidade a um trabalho que se quer com qualidade.
- dar poder à equipa de trabalho de forma a cada um dar o seu melhor e não seguir apenas o que lhe é pedido como uma obrigação;
- perceber e valorizar pontos de vista diferentes, mas não ficar presos a eles para fazer mudanças ou insistir numa mesma ideia.

Claro está que, visto que esta pequenina empresa tem muito que fazer ainda, tal como quem está à frente dela.

Adorei ler os testemunhos de empresários de sucesso disponibilizados no Linked In por Hugo Sousa da http://mexxer.pt/ e tenho plena consciência de que o processo não é fácil, não há atalhos para o sucesso, é moroso e requer do empreendedor uma entrega de corpo e alma ainda acompanhado com o difícil exercício de manter a sanidade mental tendo vida pessoal que faça descentralizar do negócio para que ao olhá-lo todos os dias o possa ver melhor, por fora e por dentro.

Bons empreendedorismos!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Conhecimento gratuito

Já conhece o site http://bemexplicado.webnode.pt/recursos/?
Cá fica mais um site com alguns recursos desde o 1º ciclo até ao secundário.
Não pude deixar de espreitar todo o site e nessa navegação encontrei alguns comentários de encarregados de educação a referir erros nas fichas disponíveis.
Fica ao critério de cada educador seleccionar e adaptar os recursos que são totalmente gratuitos, o que já de si ajuda em muito.

Boas actividades!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Dia Internacional da Família


"O Valente Alfaiate

Há muitos anos, vivia numa cidade pequena um rapaz cuja a única coisa que herdara do seu pai fora uma humilde alfaiataria.
Numa tarde muito quente de Verão, o alfaiate estava a coser um fato enquanto imaginava aventuras fabulosas e viagens fantásticas pelo mundo fora.
Tinham entrado muitas moscas na alfaiataria e eram tão incómodas que o alfaiate acabou por persegui-las, armado com um mata-moscas, imaginando que eram inimigos com os quais travava uma dura batalha.
Num dos golpes, deixou estendidas sobre a mesa sete moscas grandes e gordas.
O alfaiate tinha muita imaginação e imaginou que as sete moscas eram sete guerreiros que ele tinha vencido sozinho no campo de batalha.
Tanto pensou na sua façanha que acabou por acreditar que as sete moscas tinham sido sete guerreiros ferozes de verdade e, cheio de orgulho pela vitória, coseu uma faixa de seda e bordou nela estas palavras: «Matei sete com um golpe».
Com a faixa ao peito, passeou pela cidade, e todos o olhavam espantados, pensando na valentia daquele rapaz que tinha morto sete de uma só vez. A sua fama espalhou-se pela cidade.
Um dia chegou à alfaiataria um mensageiro do rei. Procurava o rapaz para que livrasse o reino de dois terríveis gigantes que se encontravam num bosque próximo dali.
Na realidade, o alfaiate era cobarde mas, para justificar a fama que havia ganho, encaminhou-se para o bosque onde viviam os gigantes.
Pelo caminho traçou um plano para os vencer.
Quando chegou ao local, observou os dois monstros e começou a tremer. Mas já não havia outra solução e, subindo a uma árvore, esperou que os gigantes adormecessem.
Mal começou a ouvir os seus roncos, subiu para os ramos da árvore mais próxima deles e deixou cair uma pedra sobre o nariz do maior.
Furioso, o gigante levantou a mão e deu uma palmada ao seu companheiro, pensando que este estava a troçar dele. Pouco faltou para que começassem a lutar, mas voltaram a adormecer e novamente os tremendos roncos ecoaram no bosque.
O alfaiate atirou outra pedra, que voltou a cair sobre o nariz do gigante maior, o qual acordou sobressaltado e, zangado, levantou-se e deu um valente pontapé ao companheiro.
- Já vais ver! - gritou o gigante que levou o pontapé.
Ao fim de uma hora, os dois gigantes tinham-se batido tanto que caíram esgotados um em cima do outro.
Quando se sentiu seguro, o alfaiate desceu da árvore e certificou-se de que os gigantes estavam fora de combate.
Pôs-se a caminho do palácio para contar o que se tinha passado.
O rei ordenou que os sinos tocassem e os pajens da corte proclamaram a notícia de que a bela filha do rei se ia casar com o "Valente Alfaiate"."

In Contos para adormecer, Outubro de 2010, Everest Editora

A moral da história difere de pessoa para pessoa.
Quem lê um conto associa a mensagem à sua realidade.
Neste Dia Internacional da Família, a minha moral da história encaminha para um enorme agradecimento à minha família que nunca deixou, em qualquer altura, que os supostos "Valentes Alfaiates" conseguissem que as suas pedras alterassem a nossa harmonia enquanto família.
O que vem de fora da nossa intimidade, das nossas relações mais sinceras, pouca importância tem pois quem permanece são as verdadeiras relações, sem base na mentira e no fazer só porque sim e porque parece bem. E isso foi o que a minha família me ensinou a manter e a ser.

Boas relações!

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Escrito noutros tempos mas com a razão de hoje

Estátua de António Aleixo em Loulé

Num daqueles mails que circulam sem parar, recebi algumas quadras escritas por António Aleixo.
Achei tão actuais que decidi deixar aqui registado que noutros tempos também se viviam desacordos como os de hoje.
Será que não aprendemos com o que os nossos antecessores viveram e escreveram?
Aqui ficam algumas palavras
Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado:
mandarem fazer assim
e eles fazerem assado.

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Não me dêem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!

Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.

António Aleixo

Já agora, para saber mais sobre o autor podemos ler o artigo da Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Aleixo.

Boas leituras!

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Com 7 anos e fã do Einstein

Quando um aluno está cheio de vontade de estudar Estudo do Meio porque tem teste na próxima segunda-feira, exercícios e mais exercícios não chegam!

A imaginação e os manuais em papel também se esgotam e não há nada como uma busca na Internet para encontrar os mais variados recursos.

Aqui fica a sugestão de um site que tem muitos e variados recursos totalmente gratuitos e disponibilizados por alguém que simplesmente gosta de criar e partilhar!

"Quadro e Giz", cujo site é http://www.quadroegiz.com/.

Boas pesquisas!

Revista Louis Braille N.º 6


Mais uma edição da revista dedicada a assuntos na área da deficiência visual.

Conheça-a em http://www.acapo.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=666&catid=311.

Boas leituras!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

"Escolas em Movimento pela Diabetes"


Quem não ouviu falar de escolas, movimento e diabetes?
Fantástico é ouvir estes três conceitos interligados e trabalhados por alunos do 5º ano, bastante motivados em pesquisar sobre a diabetes e idealizar projectos de vídeo incluindo as disciplinas de Educação Física, Educação Visual e Tecnológica e Educação Musical, na tão falada perspectiva interdisciplinar.
Um dos meninos com quem tenho o privilégio de trabalhar, apresentou-me o produto final do qual o título é da sua autoria, como referiu orgulhosamente!
O nome é Corre à frente da diabetes, da escola EB 2,3 Fernando Pessoa e podemos conhecê-lo em http://www.movimentopeladiabetes.pt/escolas-microsite/videos/23.aspx.

Já agora, é para votar!!

O concurso para o melhor projecto é da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) e está explicado em http://www.movimentopeladiabetes.pt/escolas-microsite/index.aspx.

Boas votações!