terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Começar pelo princípio


Em janeiro de 2011 cheguei a esta cidade, no norte de Moçambique. Mato, como eles dizem.


Primeiro mês do ano, altura ideal para começar uma nova experiência que me fez crescer.


Janeiro, época de analisar a bagagem que trazemos.


Aproveitamos para refazer as malas e todas as experiências que nos constroem o ser.


Este processo é solitário, não fossemos nós seres humanos e não meros animais. É isso que nos distingue.


Aceitar novas perspetivas, novas culturas, novas pessoas e formas de ser.



Embarcamos na nova viagem que é sempre o novo ano que começa, sem saber ao certo o que nos espera.


Abraçamos as novas oportunidades como se fossem as últimas e as mais valiosas.


Sabemos aceitar as ajudas e companhias que nos chegam e nos são oferecidas, mesmo sendo as mais humildes que conhecemos.



Assim, recordaremos a nossa vida como bem vivida, sendo cada dia uma pessoa cada vez melhor.

Ser Titia é isso mesmo, envolver-nos com as pessoas passando a fazer parte da histórias uns dos outros.

Bom Ano!

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Feliz Natal


Nesta época festiva desejo "Feliz Natal e 2018 repleto de sucessos e alegrias" em vários idiomas pois pretendo realçar a importância que conhecer novas línguas e novas culturas tem para o nosso desenvolvimento pessoal e profissional.
Não são apenas os mais novos que devem aprender e desenvolver-se cognitivamente.
Aos adultos, qualquer que seja a idade, também se aconselha manter a mente ativa para melhor resolver situações do dia a dia.
Se assim é, porque não fazê-lo de forma útil e até mesmo divertida, conhecendo novos idiomas, começando a falar outras línguas e a perceber mais do que o nosso português falado e escrito?

No Centro Educativo e de Formação Espaço Crescer (https://espacocrescer2012.wordpress.com/), em Arada ou no centro de Ovar, pode contar com essas experiências, em qualquer altura do ano.

Boas festas e boas aprendizagens!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

A Estrela de Natal


Neste Natal recomendo uma ida ao cinema com os mais novos para ver  "A Estrela de Natal".
Para os adultos rirem, livres de qualquer pensamento. Rindo só porque animais falantes dizem piadas que só adultos percebem.
Para as crianças ficarem a perceber melhor esta época que é de prendas, sim, mas que foi criada pelas melhores razões que por vezes nos esquecemos de reforçar.
Bons filmes!

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Universidade Sénior


Mês de dezembro à porta, dias cinzentos, dias curtos, noites longas...
Já pensaram o que fazem os mais velhos, aqueles que estão noite após noite sozinhos em casa?

Há alguns anos surgiu o conceito de "envelhecimento ativo", e que bela ideia!

Em Esmoriz, como em várias localidades, há o que se chama de "Universidade Sénior" (Facebook).

Para quê estudar quando já se é "Sénior" e já se tem a escola da vida, toda uma experiência profissional e não se pretende voltar a ser empregado e desempenhar uma profissão?

Segundo a RUTIS (Associação Rede de Universidades da Terceira Idade), "Os principais objectivos da RUTIS são z promoção do envelhecimento activo e a valorização  das Universidades Seniores (...) sendo estas “a resposta social, que visa criar e dinamizar regularmente actividades sociais, culturais, educacionais e de convívio, preferencialmente para e pelos maiores de 50 anos. As actividades educativas serão em regime não formal, sem fins de certificação e no contexto da formação ao longo da vida”."

Não será apenas isto, penso eu. Esta é uma forma bastante simplificada de valorizar estas iniciativas.
São várias as disciplinas que são dinamizadas em contexto de aula: música, desporto, pintura, línguas, cultura geral, ...
Tal como em todas as idades, este tipo de atividades, ou melhor, qualquer tipo de atividade de aprendizagem, deixa o cérebro mais apto e pronto a reagir a tudo e todos.
A própria moral e bem-estar é o espelho do que uma vida ativa fazem a qualquer pessoa.

Já não estamos isolados, cada um na sua terra, na sua aldeia.
Estamos todos ligados, em rede, independentemente do local, género ou idade.

A educação e formação é para todos e de todos. 

O objetivo de aprender deixou de ser apenas para desempenhar uma profissão específica, passando a ser para levar um dia a dia mais eficaz e de melhor qualidade, quer seja por enriquecimento cultural e de lazer, quer seja por realização pessoal.

Sabem o prazer que dá ouvir "Sempre quis aprender isto. Chegou agora o dia!"?

Assim, pessoas que trabalharam imenso toda uma vida sem deixar tempo para si, têm agora oportunidade de viver melhor e dar o seu melhor ao mundo, sem ficarem encostados à plateia apenas a assistir à vida, mas sim participando ativamente.

Boas velhices!

sábado, 11 de novembro de 2017

Falar sobre morte às crianças


Só sabe quem passa por elas!

Sim, é verdade. Mas... Quem ainda não passou?
Este vídeo, feito de crianças para crianças transmite um bom ensinamento aos adultos que queiram conviver melhor com crianças.

Boas conversas!

domingo, 29 de outubro de 2017

Era uma vez uma bruxa


Conta-me uma história do Halloween da tua boca...

Era uma vez uma bruxa que queria ser a rainha das bruxas.
Numa noite, decidiu fazer uma sopa enfeitiçada para dar às meninas da aldeia mais próxima.
"Um pelo de gato, um olho de elefante, ..."
Buum! Uma grande explosão.
"Está pronta!"
Encheu alguns frascos com a sua sopa e mascarou-se de vendedora de sopas.
Quando chegou à aldeia, começou a bater de porta em porta e conseguiu que quatro meninas comprassem a sua sopa.
Quando bateu a mais uma porta e viu uma linda menina, chamada Rita, pensou para si mesma que seria a última pois já teria conseguido cinco criadas.
Rita, bondosa como era, comprou a sopa, mesmo sabendo que o seu pai, o melhor caçador da aldeia, não iria jantar a casa nessa noite.
A bruxa malvada, contente por ter conseguido vender as sopas enfeitiçadas, voltou para a sua velha casa.
Quando chegou a hora de jantar, Rita aqueceu a sua sopa e começou a comer, pensando "Hum... Não sabe lá muito bem mas, como foi feita por aquela senhora simpática, deve ser boa na mesma.". Mas não era... Começou a ficar tonta e caiu no chão.
Depois disso, não se lembra de mais nada mas, ela e as outras quatro raparigas que também comeram as sopas nas suas casas, levantaram-se de olhos fechados, como se estivessem hipnotizadas, e foram em direção à casa da bruxa, pela escuridão da noite.
A bruxa, estando já à sua espera de porta aberta, começou a rir às gargalhadas pois com cinco criadas, passaria a ser a bruxa mais respeitada daquela região.
Na aldeia, o pai de Rita, ao amanhecer, chegou a casa e viu a cadeira caída, o prato de sopa por lavar e tudo desarrumado.
"A minha filha Rita nunca deixaria isto tudo assim! Algo de muito mau se passou!"
Como era um bom calador, viu em frente à sua porta as pegadas da sua filha e também da bruxa, reconhecendo a forma da sua bota pontiaguda.
"Ah! Foi a bruxa malvada! Irei atrás dela!"
E assim fez. Chegando a casa da bruxa, antes de entrar, espreitou pela janela e lá estavam as cinco criadas, contando com a sua filha Rita. Trabalhavam em tudo enquanto a velha bruxa permanecia deitada a dar ordens e mais ordens.
Decidiu então bater à porta e uma das criadas abriu. Com muita pressa, o caçador entrou e a bruxa chamou "Vassoura!" e a sua vassoura apareceu a voar e logo de seguida desapareceram as duas pela porta, sem olhar para trás mas rindo às gargalhadas enquanto dizia "Voltarei para me vingar de ti e da tua filha, horrível caçador!"
O caçador acompanhou as cinco meninas até à feiticeira boa da aldeia, que lhes deu uma poção para quebrar o feitiço da sopa.
Rita voltou ao normal, não se lembrando de nada, assim como as outras meninas.
Nessa altura, ninguém mais viu a bruxa malvada.

Mais uma...

Era uma segunda vez...

Boas histórias!